quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Os 5 elementos dos sistema energético segundo a alquimia interna taoista.


Tanto na medicina chinesa quanto na parte de exercícios (QI Kun, Tai Chi Chuan e Etc) é de extrema importância conhecer o sistema energético do nosso organismo, pois o Chi é exatamente o elemento do meio, que se liga ao SHEN e ao CHIN. É ponto de equilíbrio entre o corpo e a mente.

"Nas três categorias, há uma razão
Incrível e inexplicável
Ao concentrar, torna-se o ser
Ao diluir, torna-se o zero
Há sete orifícios interligados
E todos são luminosos."

Neste texto da alquimia do tratado do mistério da compreensão interior, pode ter uma compreensão precisa que acerca a nossa estrutura energética. No corpo humano, existem no total cinco elementos que forma o  nosso sistema energético. 
  1. Centros energéticos
  2. Vasos energético
  3. Meridianos
  4. Sub-meridianos
  5. Meridianos Flutuantes.
A partir de agora vamos conhecer um pouco de cada elemento definido pela alquimia interna taoista utilizada na medicina tradicional chinesa, tai chi chuan, Qi kun e qualquer outra pratica de origem taoista. 

1. Centros energéticos: 
 No total são sete centro de energias que no nível físico se localiza no EIXO do nosso corpo, são lagos de energia interligados, são os orifícios citado no texto taoista citado logo acima, para os alquimistas taoista é conhecido como grande caldeirões para OBRA.

Os orifícios citados no texto é conhecido por CHIAO, são grande portais que permitem a passagem das energias, como se fosse pequenos orifícios em uma grande parede, que permite a passagem de luz em forma de raios luminosos. Para muitos mestres o CHIAOé considerado como ponto LUZ, citado no texto " e todos são luminosos".
Quando a uma prática adequada dentro do Tai chi chuan/ Qi kung é possível sentir esses centros de energia de uma maneira concreta, como citado no texto taoista "ao concentrar, torna-se o ser...".

2. Vasos Energéticos
São energia de maior escala que percorre tronco, membros do nosso corpo humano, nesses vasos energéticos circulam as três energias (Yin, Yang e o Chun). A energia CHUN é energia original, onde nasce a energia yin e a energia yang, é uma energia que devemos estimular, assim conseguimos nutrir os aspectos yin e yang do nosso corpo, fortalecendo a energia CHUN reequilibramos as polaridades.

Os sete orifícios interligados são unidos exatamente por meio desse vaso CHUN que se situa no eixo do corpo. Por isso que na prática do TAI CHI CHUAN é fundamental a conscientização do EIXO.

Os Vasos Energéticos são no total oito (vasos maravilhosos), dois se estende pelo braços e outros dois se estende por toda as pernas; e outros quatros estendem-se pelo tronco e dentro todos.

Para os praticantes de Tai chi  e para os alquimistas taoistas existe quatros vasos do tronco mais importantes que são:
  1. Vaso do despertar (CHUN-MAI), no EIXO;
  2. Vaso Governador (TU-MAI)
  3. Vaso da Concepção (ZEN-MAI)
  4. Vaso da Cintura (DAI-MAI).
O vaso da cintura é o responsável por regular o yin e yang, ligando-se entre o vaso governador e vaso concepção, por isso é importante a movimentação e conscientização na região da cintura na hora de praticar as meditações e na pratica do tai chi chuan. 

3. Meridianos (CHIEN)
São no total 12 meridianos que situam-se entre os muculos e tecido da pele, a cada duas horas do dia , um deles se encontra em maior atividade, perfazendo, assim, um ciclo de energia diário. OS dozees meridianos são utilizados nas praticas de acupuntura e massagem. 

4. Sub-meridianos (LUO).
São pequenos a canais de interligação entre os meridianos principais, entre o canal de meridiano do pulmão e do intestino grosso existe uma ligação, essa ligação vem de um pequeno canal chamado de sub-meridianos 

5. Meridianos Flutuantes (FU-LUO)
Os meridianos flutuantes são pequenos canais de energia que se espalham fora do corpo, como inúmeros fachos de luz, comumente chamados aura humana. Sua função é a de bloquear ou assimilar as energias do meio-ambiente. São raios de contato energético.

BIBLIOGRAFIA:

CHERNG, Wu Jyh; Tai Chi Chuan a alquimia dos movimentos; Rio de Janeiro, ed. Mauad, 2006.

Nenhum comentário:

Postar um comentário